Remédio à base de maconha será comercializado no Brasil

À base de cannabis sativa, o remédio ganhou registro da Anvisa no Brasil. Ele é indicado para pacientes com esclerose múltipla.

Pela primeira vez, vai ser vendido no Brasil um remédio feito com substâncias derivadas da maconha. O medicamento é indicado para pacientes com esclerose múltipla.

A falta de força e o tremor no lado esquerdo do corpo são os sinas mais visíveis da esclerose múltipla, doença com a qual a Raquel Leal convive há nove anos: “É incerteza, né? Cada dia é um dia diferente. Hoje eu posso estar aqui, amanhã eu já posso estar sem ver, sem andar, então é complicado”.

O anúncio de que o primeiro remédio à base de cannabis sativa, a planta da maconha, ganhou registro da Anvisa no Brasil e pode começar a ser vendido nas farmácias é uma esperança para pacientes como Raquel, que sofrem com os sintomas da esclerose, doença que provoca lesões no cérebro e na medula. Entre os sintomas, está a rigidez de partes do corpo.

A venda será restrita e só poderá ser feita com receita médica, porque o remédio é tarja preta.

A medicação não é indicada para menores de 18 anos, porque não foram feitos testes de eficácia nesse grupo de pacientes, e é proibida para quem tem epilepsia, porque pode agravar a doença.

O registro da Anvisa não permite a produção do remédio no Brasil e o medicamento continuará tendo que ser importado, mas agora com menos burocracia, de acordo com Anvisa. Apenas uma empresa farmacêutica foi autorizada a fazer a importação e o preço que o remédio vai ser encontrado nas farmácias ainda não foi definido.

“Não é para tratamento da esclerose múltipla ou controle exatamente da doença, mas de sintomas que são basicamente a espassidade, a rigidez muscular e a dor muito intensa que decorre em alguns pacientes que desenvolvem esses sintomas e que tem a esclerose múltipla como base”, explica o neurologista Carlos Bernardotauil, da Academia Brasileira de Neurologia.

Fonte: Jornal Hoje